Notícia

Por que há tantas empresas de tecnologia na Irlanda?

Dublin é a sede europeia de gigantes da tecnologia, como Apple, Google, Facebook e Twitter, ganhando o apelido de “Vale do Silício da Europa”. O setor emprega mais de 37 mil pessoas e gera, anualmente, mais de 35 bilhões de euros em exportações, segundo a IDA Ireland. Mas o que faz da Irlanda um local tão atrativo para as empresas de tecnologia?

Muitos atribuem o sucesso do país às regras de impostos: as empresas pagam apenas 12,5% de impostos e ainda podem abater 25% do valor gasto com pesquisa no pagamento dos tributos. A tributação é muito menor do que em outros países europeus, como França (34,4%) e Alemanha (29,8%). Além disso, por muito tempo empresas estrangeiras utilizaram um esquema conhecido como Double Irish para pagar impostos próximos de zero, se aproveitando de uma brecha na legislação irlandesa, o que gerou uma multa bilionária à Apple.

Mas não é só isso. Estônia e Chipre também oferecem impostos bem atrativos e nem por isso conseguiram atrair tantas empresas estrangeiras como a Irlanda. Segundo especialistas, a Irlanda conseguiu criar o “ecossistema perfeito” para empresas do setor, apesar de ter sofrido nos últimos anos com o aumento no custo de vida.

Um dos pontos fortes da Irlanda é a mão-de-obra especializada. Há oferta de profissionais qualificados é grande. Cerca de 78% dos profissionais de tecnologia têm ensino superior completo, acima da média de 61% da União Europeia. A Irlanda atrai jovens profissionais do mundo todo, tendo a 3ª mão-de-obra mais internacionalizada da Europa.

O clima também influencia: as temperaturas mais baixas fazem da Irlanda um lugar ideal para a construção de data centers, já que as empresas economizam muito na climatização dos servidores.

E, acima de tudo, a Irlanda faz parte da União Europeia, e é o único país da zona do Euro que tem o inglês como língua oficial, o que facilita muito na hora de fazer negócios. Além disso, com o Brexit, muitas empresas estão mudando suas sedes de Londres para Dublin para permanecer na União Europeia.

Ainda assim, há muito o que melhorar. Recentemente, a Irlanda caiu 4 posições na lista de melhores países para startups, e o país vem perdendo muitos talentos para outros países. Os irlandeses Patrick e John Collison, por exemplo, se mudaram para os Estados Unidos por falta de incentivos do governo irlandês. Os irmãos fundaram a Stripe, uma startup de pagamentos que está avaliada em 36 bilhões de dólares.

Author: Pedro H. Moschetta

Trabalho com marketing digital e morei por dois anos na Europa. Gosto de escrever sobre viagens, negócios e entretenimento, além de compartilhar dicas e conselhos para brasileiros que moram fora do país.
or connect on social media below:
This site uses cookies. By continuing to browse the site you are agreeing to our use of cookies. Find out more on our privacy policy page.