Histórias Brasileiras

UM ENGENHEIRO CIVIL DE SÃO PAULO QUE FOI MOVIDO PARA GALWAY

Me chamo Vitor, tenho 27 anos e sou Engenheiro Civil. Em 2016 decidi ir morar um tempo em Galway na Irlanda para estudar e aprender mais inglês já que havia ficado desempregado. Escolhi Galway por ser totalmente o oposto de São Paulo, que é onde moro.

Quando você chegou na Irlanda e por quanto tempo ficou?: Cheguei na Irlanda em Agosto de 2016 e fiquei até o final de Março de 2017. Deram aproximadamente 8 meses.

O que você achou do estilo de vida das cidades onde você já morou? : Gostei muito do estilo da cidade, acabei ficando em Galway que é uma cidade pequena e bem universitária. Mesmo a cidade sendo pequena, ela bem agitada o que me lembrava um pouco São Paulo. Porém tinha o fato de que eu conseguia fazer tudo de bicicleta.

Qual a diferença entre os irlandeses e os brasileiros?: Não sei dizer ao certo, diria que talvez eles não são tão afetivos como nós brasileiros. Porém não senti muito isso, pois desde o começo tive bastante contato com os irlandeses e fiz grandes amigos.

Qual a melhor parte de morar na Irlanda?: É difícil escolher só uma coisa, mas acredito que a paisagem, tranquilidade e qualidade de vida realmente estão entre as melhores coisas de morar lá.

Quais são as coisas que não te apetecem muito ao morar na Irlanda?: A falta de sol no inverno é bem complicada, e também a chuva constante.

Quais são as coisas que você ou outros brasileiros mais sentem falta ao viver na Irlanda?: Acredito que tirando a família e os amigos, deve ser o clima do Brasil.

Onde é o lugar que você mais gosta de visitar na Irlanda e por quê?: Eu gostava muito de ir beber cerveja no Spanish Arch durante os dias de sol.

Que conselho você daria a alguém que pensa em mudar-se para a Irlanda?: Faça amigos, tanto brasileiros como irlandeses. Ambos irão te ajudar da forma que puder. E se possível tente morar com um irlandês, pois será um diferencial para melhorar o inglês.


Siga a jornada conectando-se abaixo:

Author: James Osborne

While not Brazilian himself James has a lot of Brazilian influences in his life, with a partner from Minas Gerais and many Brazilian friends and colleagues. James loves all things tech, in particular front end web development and open source platforms such as WordPress and Joomla.
or connect on social media below: