Close sidebar
Notícia

Estudantes estrangeiros protestam contra escolas de idioma na Irlanda

student protest

Estudantes estrangeiros na Irlanda organizaram um protesto virtual na última segunda-feira, dia 8 de junho, denunciando a falta de suporte do governo e os abusos cometidos pelas escolas de idioma. Os alunos expressaram seu descontentamento nas redes sociais utilizando memes e hashtags como #wewantrefunds (nós queremos reembolsos), #mylostsavings (minhas economias perdidas) e #ididntpayfortheseonlineclasses (eu não paguei por essas aulas online).

No dia 26 de maio, o governo irlandês anunciou uma série de medidas que inclui a extensão do visto de estudantes estrangeiros no país até o fim do ano, desde que estejam matriculados em um curso de inglês online. O anúncio causou revolta de muitos alunos, que reclamam da péssima qualidade das aulas online e da falta de reembolsos das escolas. Uma pesquisa do Irish Council for International Students (ICOS) mostrou que 87% dos alunos estão descontentes com as aulas online.

Em nota, a LASC diz que aulas online não substituem aulas presenciais, e por isso não deveriam custar o mesmo valor para os estudantes, que muitas vezes gastam todas suas economias para financiar um intercâmbio na Irlanda. Aulas à distância estão sendo ministradas por professores despreparados em sessões superlotadas, sem qualquer preocupação com a qualidade do ensino. Através de um abaixo-assinado, que já foi assinado por mais de 4 mil estudantes, a LASC lista uma série de demandas, incluindo o direito ao reembolso pelas aulas que não ocorreram, a redução dos preços e o aumento do tempo máximo permitido de trabalho para 40h por semana.

Por outro lado, a situação dos professores também não é boa. Em outra nota, a ELT Advocacy Ireland disse que muitos educadores foram demitidos das escolas, enquanto os que permaneceram receberam pouco ou nenhum treinamento para dar aulas à distância. Houve confusão devido à grande quantidade de alunos que voltaram para casa e a (não-)obrigatoriedade da presença nas aulas durante a pandemia. Isso causou uma série de problemas, como alunos de diferentes níveis na mesma aula, turmas com até 70 alunos e até mesmo funcionários da secretaria da escola ensinando inglês.

Author: Pedro H. Moschetta

Trabalho com marketing digital e morei por dois anos na Europa. Gosto de escrever sobre viagens, negócios e entretenimento, além de compartilhar dicas e conselhos para brasileiros que moram fora do país.
or connect on social media below:
This site uses cookies. By continuing to browse the site you are agreeing to our use of cookies. Find out more on our privacy policy page.