Notícia

5 tradições estranhas da Irlanda

A Irlanda é conhecida pelos seus muitos provérbios e tradições que rodaram o mundo, como as muitas associadas ao St. Patrick’s Day e ao Halloween. Algumas delas, no entanto, parecem um pouco engraçadas aos olhos de um estrangeiro.

Confira algumas das tradições mais estranhas da Irlanda:

Agradecer ao motorista de ônibus

Talvez esta não seja tão estranha para os brasileiros, mas uma pesquisa do Dublin Bus em 2015 mostrou que 90% dos passageiros dizem “obrigado” ao motorista antes de desembarcarem do ônibus, e há muitos estrangeiros que acham isso estranho.

Cumprimentar os corvos

A educação dos irlandeses vai além dos motoristas de ônibus, já que muitos costumam dar “bom dia” às pegas (uma espécie de corvo), acreditando ser uma forma de evitar o azar. Outra superstição relacionada à este tipo de ave diz que o número de corvos que você vê pode revelar várias coisas, como boa sorte, azar e até mesmo o sexo de um bebê.

Dinheiro escondido na comida

Uma das muitas tradições de Halloween na Irlanda é a de esconder dinheiro dentro de comidas. O barmbrack, por exemplo, é um pão preparado com passas e com vários objetos pequenos dentro dele, como moedas e anéis. Cada item carrega um significado para a pessoa que o encontrar. Quem encontrar o anel, casará naquele ano; quem encontrar a moeda, ganhará uma fortuna e terá prosperidade; quem encontrar o palito, será infeliz e terá muitas brigas. Até hoje é possível encontrar pães como este vendidos em supermercados que vêm com um anel dentro.

Outro prato que é servido com moedas no dia das bruxas é o colcannon, uma espécie de purê de batatas com folhas de couve.

Rodadas de bebida

Quando estão em um grupo num bar ou pub, os irlandeses bebem em rodadas (rounds), o que significa que cada pessoa paga as bebidas de todas as outras, em uma sequência. Recusar uma bebida pode ser ofensivo em alguns casos, e beber na conta dos outros sem pagar nenhuma rodada é bem feio.

Velórios

Assim como no Brasil, velórios são muito comuns na Irlanda, e remetem ao tempo dos celtas, quando era comum vigiar o falecido desde a hora da sua morte até a hora do enterro. A tradição tem origem no Judaísmo antigo, quando era comum deixar um morto por até três dias “descansando” antes do enterro, para ter certeza de que o morto não ressuscitaria. Outra lenda conta que o velório na Irlanda começou após uma onda de envenenamentos, que deixava a pessoa em um estado de quase-morte, antes de voltar ao normal depois de algumas horas.

Os velórios são parecidos com os do Brasil: geralmente acontecem em funerárias (ou na casa da família, em alguns casos), e recebem todo tipo de pessoa para dar o último adeus. Muitos estrangeiros acham estranho o fato de que conhecidos, e não pessoas próximas, frequentam os velórios, mas isso também acontece no Brasil.

Author: Pedro Henrique Moschetta

Trabalho com marketing digital e morei por dois anos na Europa. Gosto de escrever sobre viagens, negócios e entretenimento, além de compartilhar dicas e conselhos para brasileiros que moram fora do país.
or connect on social media below: