Notícia

Dublin tem o custo de vida mais alto da zona do Euro, segundo Mercer

Dublin foi considerada a cidade com custo de vida mais caro da zona do Euro, de acordo com o Mercer 2020 Cost of Living Survey. O estudo, divulgado no dia 9 de junho, analisou o custo de vida para expatriados em 209 cidades ao redor do mundo, considerando diversos critérios que incluem gastos com alimentação, moradia, transporte, vestuário e lazer.

A capital irlandesa ficou em 46º lugar no ranking das cidades mais caras do mundo e em 6º lugar entre as mais caras da Europa, atrás de Zurique, Berna, Geneva, Londres e Copenhague – todas fora da zona do Euro.

O alto custo do aluguel em Dublin, que pode facilmente passar de €2.000 por mês, é o principal responsável pelo desempenho de Dublin no ranking. A cidade é mais cara do que capitais como Paris, Berlim e Roma. Em 2020, muitas cidades da zona do Euro caíram no ranking devido à valorização do dólar frente ao Euro.

Apesar disso, o estudo diz que Dublin continua um local atrativo para estrangeiros que desejam trabalhar no exterior, já que a cidade é o destino preferido de empresas que estão transferindo suas sedes para fora do Reino Unido devido ao Brexit.

A cidade mais cara do mundo continua sendo Hong Kong, seguido por Ashgabat, no Turcomenistão, e Tóquio, no Japão. Zurique permanece em quarto lugar, enquanto Cingapura caiu duas posições, ficando em quinto lugar. Nova York ficou ainda mais cara, subindo do nono para o sexto lugar.

As cidades mais baratas do mundo para expatriados são Tunis, na Tunísia (209) e Windhoek, na Namíbia (208).

Impacto do Covid-19

Os dados do estudo foram coletados em março de 2020, antes do pico da pandemia. O verdadeiro impacto da crise, no entanto, só deve ser refletido no ranking do próximo ano.

Segundo o site Daft.ie, houve um aumento de 39% na quantidade de imóveis disponíveis para aluguel em Dublin, apesar dos preços continuarem altos. O valor médio do aluguel na Irlanda subiu 0,6% em abril em comparação com o mês anterior.

Segundo Noel O’Connor, da Mercer Ireland, a pandemia vai dificultar a vida dos trabalhadores estrangeiros devido às flutuações no câmbio, demissões e cortes de salários.

Author: Pedro Henrique Moschetta

Trabalho com marketing digital e morei por dois anos na Europa. Gosto de escrever sobre viagens, negócios e entretenimento, além de compartilhar dicas e conselhos para brasileiros que moram fora do país.
or connect on social media below: